quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Ainda Amo Você.

Madrugada chuvosa aplaca minha opaca alma
Sinto na pele o frio como um vazio lascivo inquietante
Transformando um sentimento translúcido e inebriante
Em constrangimentos desta melodia que agora se cala.

Imensuráveis incertezas invadem minhas possíveis decisões
Diante de sua moldura atenuante expresso tais questões
E neste silêncio algoz
Eis que surge do nada a inflexão sem reflexão.

Quanto martírio pelo meu estado de delírio
Duelando nesta dualidade imperfeita e atroz
Como causa, a esta causa com defeito e efeito um tanto temporal,
Fico a lamentar tua ausência em nossa relação corporal.

Torno a permanecer diante de sua moldura silenciosa
Enaltecendo nosso convívio com alívio ao anoitecer
Esperando pela existência do teu sorriso imortal e voluntariosa
Perder-me sem contendas e dualidades até ao amanhecer
Em resumo: apesar dos pesares
E diante do tempo que ainda me resta

Grito: ainda amo você!


Texto: Roberto Mello
Imagem: geralt

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Emoção ou Razão?

Quantas estradas percorridas sem razão?

Sem camuflar ou fantasiar respostas
A humanidade desdenha pelo livre arbítrio
Eloquências fúteis ao dia a dia
E se arrebata pela dor da solidão.

Insensatez invadindo linda e pobre alma
Aniquilando sonhos de esperanças momentâneos
E minha voz exasperada pelos gritos em sussurros se cala.

Procuro compreender o instante da ausência
Conspurcando pensamentos e atitudes inusitadas
Refletindo sentimentos e ofuscando decisões
Alimentados e mal nutridos pela falsa soberba
De infinitos pobres, duvidosos e angustiados corações.

Cada sentimento sentido e atrevido
É aguçado ao instante de uma mísera irracionalidade
Age sem questionar ao momento aguerrido
Fraudando a si mesmo e burlando a própria personalidade.
Eu penso, eu creio e acredito...
O instante da emoção pode ser vida sem razão.


Texto: Roberto Mello
Imagem: MaThoPa

quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

A Busca

Exploradores buscam tesouros perdidos
Atribulados também o fazem
Impulsionados por corações iludidos
Arrependendo-se mais tarde.


O que é para você tesouro perdido?
O que é não ser esquecido?
E quanto à expressão “burlado”?
E o sentir-se contrito, iludido ou amargurado?


Buscando respostas ao dia a dia
Somos piratas procurando ilhas
Mesmo enfrentando o mar de ressacas
Enxergaremos verdades sem imagens opacas.


O tesouro existe
Continue a procurar
Com sentimentos verdadeiros
Ele te achará!


Autor: Roberto Mello
Imagens: web
Adaptação e Edição: Roberto Mello






terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Apenas uma partitura.

Descortinei diante dos meus olhos uma ilusão
Que afetava de modo angustiante minha alma
Que me afligia noite e dia pela voz sem nenhuma calma
Atordoava minhas veias e dilacerava meu coração.

A este coração impetuoso, audacioso e esperançoso,
E agora perdido, mas desejando almejar,
Um sonho ao encontro de uma paz ao corpo harmonioso
E sem pesadelos 
Cobiçando conjugar o verbo amar.

A este “amar”
Navega-se em tempestades em alto mar
Com ondas que avassalam tua alma sem a encontrar
E novamente, insistentemente aspira reencontrar,
O elo perdido descortinado da ilusão sem adulterar.

Logo, hoje em dia, questiono comigo mesmo:
"Descobri" minha insólita e audaz ilusão?
Com ou sem veemência ao meu nobre coração?
Enganei-me pelos ternos impulsivos instantes?


Chego à conclusão:
Suportei o imaginável fantasiado de aventura
Minha mente atormentada diante dessa loucura
Afastou-se do pesadelo por essa criatura
Concluindo apenas: essa melodia era apenas uma partitura!


Texto: Roberto Mello
Imagem: Fotocitizen



quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Pra você.

Um sorriso verdadeiro
É aconchego para alma e coração
A lágrima que desliza em tua face
Enobrece teu sentimento
E teu olhar vazio
Enfatiza o início de tua restauração.
Comemore com alegria
Sem ressentimentos
Sem mágoas
Sem tristezas
Aprecie os encantos
Aceite as generosidades
Receba tuas graças
Com perfeições de grandiosidades.
Sem falar das bondades
Derramadas com formosuras
Delineadas em tua simetria
Espalhando em toda tua alma
Com verdadeira harmonia.
Sinta-se feliz nobre alma vivente
Aquiete-se em tua sublime existência
Desfrute de cada segundo
Sem ser inconsequente.

Que tu sejas Feliz!


Texto: Roberto Mello
Imagem: Geralt

sábado, 2 de janeiro de 2016

O Instante do Desejo.

Se desejo exaltar ao instante a te encontrar
É porque habitas solenemente ao convívio do meu Eu
É porque suas singelas carícias alimentam minha alma
É porque tua presença me satisfaz e minha vida acalma.

Esse desejo com ensejo torna-se brandura como candura
Em lhe ofertar sonhos com esperanças
Em lhe ceder momentos inesquecíveis
Desfrutar realidade sem nenhuma obscuridade
Desejar-te nesse instante sem nenhuma maldade.

Transmito aos gritos meus pensamentos aflorados
Não sendo mesquinhos nem tão pouco atordoados
Apenas insisto...
Na diminuta fração do instante inquietante

Amar-te é meu profundo sentimento diletante.


Imagem: Public Domain Pictures
Texto: Roberto Mello