sábado, 8 de setembro de 2018

Dubiez


Dubiez

E se o UNIVERSO questionar meu único verso?

Ainda sim, discorrerei para alcançar a estrofe perfeita.

E se ELE, após a leitura, concluir com incoerência?

Refino a subjetividade exposta,
Reavalio a dinâmica das palavras,
Norteio a objetividade da arte dual,
Clareio os fragmentos mundanos,
Revitalizo a manifestação da alma,
E, finalmente, pontuo as palavras com serenidade.

Contudo, com veemência, ELE insiste na mesma nota.

Então, durante alguns dias, meses ou anos;
Torno-me passivo às infinitas inspirações.

O tempo avança e nada acontece
Sobrevêm ideias
Entretanto, o manto noturno continua ali;

Uma vez por outra, algumas lágrimas cortam as estrelas.


Imagem Litllerich