terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Felicidade ou momentos felizes?

Ao instante de vida circunstancial
Deparo-me com imensuráveis incertezas
Alguma matutina, outra vespertina,
Todavia, anseio ao dia a dia de minha idade,
Um amanhã repleto de felicidade.
Almejo momentos de alegrias prevalecendo
Desejando nenhum instante de contratempo
Mas, incrédulo e tolo torno-me perempto,
Pois tristezas também vão acontecendo.
E a felicidade tão esperada?
Chega quando? Ou, algum dia chegará?
Alimentamo-nos de sonhos e desejos vindouros
Vivemos no agora aspirando algo pelo amanhã
Em contrapartida, o momento presente,
Foi um sonho ou pesadelo de outrora.
Diante de um presente em conflitos
Permanecem desejos com profecias
Arrebatando uma alma com atritos
Em silencio ocultando minhas idiossincrasias.

Texto: Roberto Mello


quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

Essência Natalina

Tantas palavras já publicadas
Tantos poemas já divulgados
Tantas mensagens distribuídas
Envolvendo a Essência Natalina
... E continuo questionando:
Como é difícil expressar tal essência 
Seja pela arte de conjugar verbos
Seja pela harmonia e coerência nas palavras
Entretanto...
Nesta busca incessante
A humanidade continua expressando:
FELIZ NATAL
NATAL FELIZ
TEMPO DE RENASCIMENTO
ÉPOCA DE REFLEXÃO...
E outras variadas formatações,
Contudo 
E acima de tudo,
O FELIZ NATAL
O NATAL FELIZ
Deve ser expressado do "fundo d'alma"
Sem mentiras,
Ou ironias,
Ou vaidades,
E sem falsidades.
Mas de forma incisiva
Com sentimento de calor
Com sentimento de ardor
Com sentimento...
De requinte e fervor
Exaltando o verdadeiro AMOR.
Então,
Aceitem com carinho:
"Que o Espirito Natalino habite em cada coração durante os 365 dias - ano após ano - FELIZ NATAL E UM PRÓSPERO 2016 REPLETO DE REALIZAÇÕES!"


Texto: Roberto Mello
Imagem: stux

domingo, 20 de dezembro de 2015

Um espelho.

Acorda
Levanta
Escova os dentes
Lava o rosto
O espelho está ali.
Penteia o cabelo
Bebe o café
Está na hora de sair
Veste uma roupa
Roupa sobre roupa
Antes de ir
O espelho está ali.
No trânsito
Está chegando
Mais uma vez
Outro espelho ali.
O dia passou
Um espelho aqui
Outro espelho ali
E mais outro, acolá...
E você?
Teu EU onde fica?
Onde está?

Cuidado... Reflita!


Texto: Roberto Mello
Imagem: Stecknitzbruecke

sábado, 19 de dezembro de 2015

Livro "O Mensageiro"

Uma história envolvente de amor, coragem, desapego, ousadia e Fé.

Após dez anos de casamento estável e dois filhos, a relação entre Douglas e Carmem sinaliza uma possível separação. Iniciam-se crises existenciais, questionamentos sem respostas e buscas incessantes de soluções. O tempo passa e nada acontece, contudo ele acredita que é capaz de reverter crendo na vitória.
Douglas já exausto em tolerar o intolerável e suportar o insuportável, começa a argumentar consigo mesmo: vale a pena o sacrifício para manter a família unida por causa do amor? Será que estou certo? Ou errado?

Prólogo - Sinopse

Dividi minha vida durante nove meses com a decisão de separar ou não. A vida não tinha mais graça, meu trabalho era indiferente e questionava: por que viver assim de um jeito tão ruim? O que Deus quer? Onde errei ou erramos?
Em verdade, quando uma relação chega a esse ponto é porque vem se desgastando a longo tempo. Eu entendia essa linha de raciocínio, porém, listava os prós e contras acerca de qual decisão tomar. Sabia que era uma decisão difícil porque poderia magoar a mim e aos meus filhos. Por outro lado, não estava mais feliz ao lado dela, apenas tolerava.
Os finais de semanas e feriados eram terríveis, a exceção, desfrutar da companhia dos filhos. Isso não é viver, e, sim, sofrer cada fração de um centésimo de segundo. Várias noites sem dormir e a inquietação acabando comigo. Andava quilômetros de madrugada dentro da minha própria casa. Toda vez que parava junto à porta do quarto de meus filhos, observando eles deitados e dormindo, sentia a dor de uma flecha rasgando meu peito e dilacerando meu coração.
Aquela situação estava péssima, era necessário acontecer algo e bem rápido. Implorava a Deus uma inspiração, uma resposta, algum sinal, alguma coisa que me fizesse ver o que não estava percebendo ou, na realidade, não estivesse aceitando. Passei a não pensar mais em nada, a não ser em qual decisão tomar.




domingo, 6 de dezembro de 2015

Mensagem.

Veja
Quanto de benevolência
Em tempos de outrora
E na aurora
Convivendo na inocência
Recebia seus desejos íntimos
Por instantes de glória.
Quanta satisfação pessoal!
Quantas alegrias!
Algo mudou no curso da vida?
Reflita ao teu segundo
Pondere o teu minuto
Onde está o erro?
Culpar a quem?
Quer o verdadeiro culpado?
Sente-se e reflita
Medite e contemple
Antes de mudanças externas
Limpe seu sótão.
Existe um baú cheio de amarguras
Um envelope carregado de tristezas
Transferindo mágoas e incertezas.
Jogue ao lixo qualquer fato impeditivo
De enxergar reais generosidades
De sentir verdadeiras magnificências
Não permita intrusão de maldades
Alterando sentimentos em sua consciência.
Mesmo nas imperfeições do dia a dia
Não se alimente com melancolia
Procure harmonia
Isto não é demagogia
E sim
A busca incessante

Da Verdadeira Sabedoria.


sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

A Rosa

Rosa
Pétala
Veludo
Delicada
Sensível
Tato
Olfato
Expressa amor
Carinho
Ternura
Romance
Afinidade
Contemplação
Momento real?
Momento Atual?
Ontem..., Ah! O puro amor.
Hoje
Ressentimentos
Amanhã
Tormentos?
E a rosa?

Continua linda..., e com espinhos.

Autor: Roberto Mello


terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Momento de contemplar.

Tendo-me arguido
Quem responderá?
A intuição?
A razão?
Ou, o disfarce da emoção?
Creio ser intuição
Entretanto
Contagiado pela plenitude
Das respostas
Coerentes ou incoerentes
Será o disfarce da emoção?
Como definir
Coerências ou incoerências?
Razão?
Ou emoção pelo experimento?
Tudo é contemplação?
Ou, confusão?
Agora, cadê a razão?
Tem diferença?
Ou, será crença?
Cheeega!

 Vou dormir, com licença!


Imagem: geralt
Texto: Roberto Mello